domingo, 23 de junho de 2013

não me digam até logo...se logo é o lugar imediato da incerteza

sábado, 30 de março de 2013

ALELUIA


e vieram as flores e os frutos
os homens novos
para florir amor no olhar dos pobres

avé alegria

sábado, 16 de março de 2013

volto e trago
amor o rosto
despedido desgosto
do longe a distancia
quem parte
fica
de qualquer
sorte





terça-feira, 27 de novembro de 2012

MEU AMOR

há muito
não nego... tanto amor!
que o encontro foi
a própria
transperencia
nenhum olhar sequer
a toldar se
aquela força ancorada
anímica
de nos darmos
a dois
distintos tempos
a um tempo
para
ao outro revelar-se



quarta-feira, 15 de agosto de 2012

perguntei à morte
se podia
dizer me ao certo o dia
da partida e a morte
em desnorte tomou vida
para responder viva e chorosa
felizes os que a vida vivem
sem saber nunca da morte 
porque poupam
muito mais VIDA


terça-feira, 17 de julho de 2012

no encalço





palavras
de verão
distendidas
no render
das horas
doem
refletidas 
d' essência 
no encalço
da
sílaba
ferida 
que possa
eu inda
afagar
na espuma
sem
morrer me
o verso






sábado, 7 de julho de 2012

domingo, 4 de março de 2012

ode lacrimosa

cai
sem
se ferir
insistindo
jubilosa
a existencia
punjente
e lacrimosa
sobre
cesuras na terra
qu hão de
ser lhe
vida 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

a ilimitar se

                                                                                                                      foto:google
deixam se alagar
palavras no ato inicial
das àguas 
que murmuram
fixas nos elementares vocábulos
da espuma
ao ponto de elevar se
o canto

sábado, 17 de dezembro de 2011

do meu SER para o teu ESTAR


































PINTURA: helenabranco


...porque o tempo abriu em nós o lugar d encontro
   verbo luminoso na ramificação das côres
   onde crescer a lucidez...entre feliz no olhar o outro
   de mim...
   
   BOM NATAL

terça-feira, 1 de novembro de 2011

tomando o sal

a sumir nas águas
s escreve um vocábulo
nú agreste 
sobrem o longe
algas e búzios 
d azul anoitecido
a perderem se na vocálise 
já sem sintaxe as pedras
tomando o sal
a espera feliz
da maré


(foto: Paul Weiland)                          

sábado, 17 de setembro de 2011

a... penas






























foto: google


bem poderia ser
um dia mais 
um compasso metódico
do verso no pulsar anónimo
dos dedos canto chão
mas é mais
alto elevado d urgencia d ave
que apura o voo sem atropelo
do tempo
hoje sou o próprio rumo
que desregra vontade
sem perda que me cegue
nem ausência que m impeça
sou a crença de ser
a penas da razão
sozinha
 

domingo, 4 de setembro de 2011

longínquos...

                                                                                                             foto:Google
há vagares nos olhos por encontrar a viagem
que somos a caminho...

sábado, 30 de julho de 2011

                                                                                                                                                                                                    foto: google
      no comment!

terça-feira, 26 de julho de 2011

HAVERÁ TEMPO ...V


                                                                                                                                                                                     foto: Google
chão mais
não houvesse
rumo
nem vento norte
a sós com o silêncio
no ventre
agarrado ao leme
coração líquido
a bater sorte
que não a morte
donde o céu sumiu
e o Pôvo

sexta-feira, 8 de julho de 2011

omnissapiência
































foto: Carlos Pereira
por mais
s esconda 
há sempre
alguém que dê
pela fragrância
Luz instante
lapidar o Tempo
nem grade a extingue
nem alma indivudue
o corpo vivido
matriz no olhar
que somos

terça-feira, 5 de julho de 2011

...vocábulo

                                                                                                                                        
foto: google
 s escreva
 em vão não queira
 esse teu jeito ausente
 de ficar
 que trago
 paul da tua boca doce amargo
 rubra cegueira 
 na mente  prenhe de sonhar
 rogo à noite encerre em bruma
 o dizer na voz lassa e passageira
 a saudade de ti qualquer coisa
 decaída da razão que me resiste
 amarga dolorosa sem
 ser triste

terça-feira, 21 de junho de 2011

por...abrir



foto:trust yeshu
    ... antes do alvorecer 
        a flor acima do silencio

terça-feira, 14 de junho de 2011

ESTROFE


                                                                                                                                                                         foto:Dzmitry Parul

viagem no rosto
das frâgoas onde pousar
urgência que
decante
seja amor eu  ainda
ínfima estrofe a sorte
de vagar pálida sílaba
o poema
que nos une

quarta-feira, 8 de junho de 2011

...entre os ramos

foto:google (c)
   pássaro doído
   dentre
   o silencio
   arborescente
   escutando
   o movimento
   arterial
   da terra 
   como se verde
   fosse a guerra
   e o ódio do homem
   ventre
    

sexta-feira, 3 de junho de 2011

palavra de ...palavras

foto:google(c)


     fios perdidos de tinta
    lustrilhos d alma incontida
    a porfiar
    ventos e brumas
    assomam
    o pensamento
    vocábulo anoitecido
    um solista
    dimanando
    perspícua
    voz
    no silencio
    
    que  POETA
    devaneia
    

sábado, 21 de maio de 2011

...a idade dos olhos

                                                                                                                                            Foto (c) google

    sei das folhas
    a idade dos olhos
    pelas aves da notícia
    a sombra do Verão
    águas passageiras
    subindo os caules
    pelo reclinar
    da cabeça onde findam
    os ramos por onde desço
    eivada d azul
   

sábado, 14 de maio de 2011

SÚBITO

                                                                                                                                              foto:(google)
 ...abrindo à hora  solta
   ao respirar d espuma
   murmure a brisa     
   meu sonho
   recluso
   o torne longe
   eterno
           

domingo, 1 de maio de 2011

MÃE

                                                                                                                                      foto:(c)
...um tempo
de ROSA
perene
assomo
olhar d ave
em ramo brando
sem acúleo
passo a passo
harpeando
caminho
donde
revelado 
futuro
ser
de ti
a flor
breve

terça-feira, 19 de abril de 2011

...entre as oliveiras

                                                                                                                                                                              Pintura: Helena Branco (c)
ascende
um choro nas pedras
silencio tumular
do corpo escarnecido
não reste mais sangue
nem palavra diga alto
que valha aos cegos
arrependimento
só esplendor
assombro
na palpebra da lágrima
que perdure
consequencia
...quase hora
a entregar
vou
para a morte
por vos crer
VIDA

segunda-feira, 4 de abril de 2011

por um pouco d azul

                                
vagar                                                                   foto:PhilippMN                                                                           
ocluso           
rumo ao todo
que se não
alcança  
transmudados  
apenas  
                                                                   

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

...cada regresso

                                                                                                                                             foto:Jason A.Samfield
lá no alto
onde o tempo se revesa
suspende e dita
a certeza
que na asa o pássaro
fita
d oratória
que s adivinha 
cada regresso 






terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

CAMINHOS



                                                                                                                                                                                                                foto(c)
pela lucidez
com que nos tomarmos
o caminho
interrogando cada passo
na mudança
assim colheremos
do que nos for
agrado
o rio
onde estender
o linho
que
nos rumará
o sentido

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Oratória de Bach

fiquei lá
algures
não sou
o que o tempo
desgastou
continuo
o antes de mim
agora
sentado
à entrada do sonho
espero
sem desespero
o milagre
s anime
o encanto
talvez o tempo
condoído
regresse





quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

...eterno amargo

                                                                                                                  Foto: Carlos Pereira
trago do tempo distância             
que saudade traz
estações
afago que não floresce
eterno amargo
meus olhos sabem-no bem
ao colo este trazer efémero
este sonho frio eterno
ser amado
por ninguém
que a vida é doce
amargura
não importamos
a quem

sábado, 11 de dezembro de 2010

cume d azulinidade

                                                                                                                               FOTO:Jason Hummel
subo
invisível
de mim
porque lá
não mora o outro
que me impeça
a subida
lá não moro eu
que me obrigue
a detê-lo
sucumbiremos
na transumância
que nos individua
a arrogância
tão próximos
d azulinidade
imensa
do cume


domingo, 5 de dezembro de 2010

fronteiras da Luz...quase quase vida

                                                                                                                          Foto: VascoRibeiro
... se o voo
entardecesse
partir devagar
no sussurro despedido
das folhas
no fio da luz onde
pousam as gaivotas
o avistassemos
para além
do que morre
dentro
acreditando
no todo que ainda
nos vive
talvez
sobrasse paisagem
p´ra sonhar
o Homem que nos embala
o sonho
encapelado


segunda-feira, 22 de novembro de 2010

a direcção da mente


os fumos evocam a cura da TERRA MÃE
                                                  que atingimos o CAOS!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

PARABENS !!! ANA...

tivesse eu para te dar
um canteirinho só teu
com tulipas a sobrar...

 da Mãe

sábado, 13 de novembro de 2010

OUTONANDO

                                                                                                                                                Foto: (c)Pietro  o dia esgotou-se
a luz
na raiz da noite escuto
como cego
a viagem interior
arrogada
loucura que me ocorre
sem esforço
porque me doo
palavras brancas
onde morar
ainda que
breve

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

d'AZULINIDADE


foto (c)simongren
AMO o desejo líquido
na vontade escorrente
cada palavra aberta
á conciliação
na dúvida
que encarcera a luz
d' entendimento
raramente buscamos
a certeza piomordial
de pensarmos
juntos
como cegos
afundamos
d´azulinidade
reticentes...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

para ganharmos... à morte?

                                                                                                                                            Foto: (a) monsteur quase sempre quase anjo
outras... quase quase homem
a rude negligência
do saber endeusado cavando abismo
voluntários que somos
com muita pressa
o avesso da perfeição
como se dúvida fosse promessa
e...como perfeiro só DEUS
então apenas homem existo
porque insisto em ser
a negação do que me elegeu
sou ateu  mas EU
porque me dá mais força
a distorção corrupta
mais bravura e condecoração
mais voz
aos meus mais elevados desníveis de conduta
entrego-me voluntarioso à extinção
do próximo irmão não nego
sou apenas EGO
porque me rejo pela selva
e dois mais dois são quatro para UM
e os tres que sobram não são ninguém
A FOME é apenas vontade
mas é preciso castigar alguém
os famintos
para que morram
porque os que não têm fome gostam de comer
isso é inquestionável

e se morrer sozinho
fui apenas involuntáriamente
EU

Helena Branco  ( com o projecto Miqueias , contra a fome)

domingo, 26 de setembro de 2010

nome da inocência

                                                                          
  há nomes                                                               
   que me são distantes                                                      
   como dias
   correm
   nos lábios de um sorriso  
   por abrir 
   d inocência que os tome
   acetinando-lhe o rosto 
   breve