segunda-feira, 20 de julho de 2009

...dar rosto ao Último Combóio para...

"a dona do blogue" Foto:Araceli (c)

Pensamento

Aqui neste meu silêncio concreto...neste dar-me de... dentro
arrancando-me de mim...a partilhar algo
que se me ofertasse depois...

tendo tomado consciência que... a solidão
este só... que é meu... seria seu também...

acordei alto... a vontade de apanhar o Último Comboio para...
uma nova aventura... mais soalheira ...
espreitar o eco da vida ...reencontar um espaço aprazível
onde sacudir a nostalgia e repensar... os vocábulos
que cintilem brisas de Verão e enigmas da inteligência...


Saudações e até breve HB

8 comentários:

  1. Olá! Que bom conhecê-la :)
    Até breve!

    ResponderEliminar
  2. Querido viajante é sempre tão simples e tão concreto...eu que tive um dia o prazer de assestar o lhar sobre a sua magreza física e a alma sobre a sua firme quase dolorosa sensibilidade... (devo-o ao Nuno esse Amigo comum que gostamos de ter)agradeço o gosto rasgado de me conhecer...assim tão despojadamente
    anunciada OBRIGADA por me conceder estar perto...

    ResponderEliminar
  3. AMIGO NUNO...vou dedicar-lhe o próximo post no blogue...logo não estou de partida...daqui...mas sim de partida da mágoa que esgotou o tempo do lamento...a penitência a que me obriguei palavras a fio...na adjectivação vacilante com que compunha os dias e as madrugadas até ao ponto em que tudo basta!
    inicío um "ciclo" citando ÓSCAR WILDE ácerca da Amizade, melhor dos Amigos...verá como me concilio com a lucidez e com o bom senso...que comigo acaba sempre por chegar...
    ABRAÇO

    ResponderEliminar
  4. ...o último comboio para ir para..., e o primeiro para voltar.
    Abraço, Helena

    ResponderEliminar
  5. Sim Queridíssima Cristina...também as suas palavras...quase sussurradas...ma trouxeram "de volta"...a vontade de sol uma réstea de mar...

    a sua mensagem deixa sempre um búzio...para que a oiça...ABRAÇO

    ResponderEliminar
  6. Obrigado pela dedicatória, que não mereço e um abraço para que continue aí de pedra e cal a "poetisar" o mundo cibernético :)

    ResponderEliminar
  7. AMIGO NUNO se não tocarmos a cal...não vislumbraremos a nossa essência a efemeridade do nosso tempo aqui...OBRIGADA pelo incentivo.

    se a pedra consolidar...

    ResponderEliminar